6 de outubro de 2016

O VALE SEM ÁGUA

“7 Hoje, se vocês ouvirem a sua voz, não endureçam o coração,
8 como em Meribá, como aquele dia em Massá, no deserto,
9 onde os seus antepassados me tentaram, pondo-me à prova, apesar de terem visto o que eu fiz.
10 Durante quarenta anos fiquei irado contra aquela geração e disse: Eles são um povo de coração ingrato; não reconheceram os meus caminhos.
11 Por isso jurei na minha ira: Jamais entrarão no meu descanso.” -  Salmo 95. 7-11(NVI)

Este trecho me chamou a atenção hoje, quando fazia minha devocional. É claro o chamado de Deus à obediência nesses versículos, uma advertência foi dada. Deus lembra do pecado de Israel no deserto (Êx. 17.1-7) quando a falta de água, levou o povo a murmurar, a ser ingrato e colocá-lo à prova (“O Senhor está entre nós, ou não?” - Êx. 17.7 - NVI). Esse é um exemplo claro de falta de fé e reconhecimento de quem Deus é, e infelizmente essa é uma tendência humana, por isso precisamos constantemente sermos lembrados e advertidos. Quantas vezes duvidamos mesmo com todas as evidências mais que suficientes de que podemos confiar que Deus proverá em qualquer situação, mas assim como o povo de Israel, quando nos deparamos com um “vale sem água”, trocamos a confiança pela dúvida e somos privados com isso de desfrutar do descanso, da paz que só poderemos encontrar em Deus.

Com isso, as conclusões que chego é que a falta de confiança em Deus:

1) Gerará preocupação;
2) Alimentará a insatisfação, nos levando a inclinação de querer o que Deus não quer para nós;
3) Nos fará propensos a ouvir maus conselhos e suscetíveis a tomar decisões precipitadas;
4) Resultará em sofrimento e discórdia.

Em contrapartida, se não endurecermos o coração e reconhecermos Deus como suficiente em nossas vidas:

1) Cultivaremos a humildade, deixando de lado a ansiedade;
2) Desenvolveremos o contentamento e a gratidão;
3) Desfrutaremos de descanso e paz.


“Quando a ansiedade já me dominava no íntimo, o teu consolo trouxe alívio a minha alma”. Salmo 94.19 (NVI)